4 Exercícios Funcionais Para Idosos Com Muitos Benefícios

Idosos sedentários têm maior probabilidade de sofrer quedas, ter problemas cardiovasculares e diversos outros malefícios. Isso quer dizer que se exercitar eventualmente será quase obrigatório para os mais velhos. E nós, do Treinamento Funcional, Pilates e outras áreas do movimento, precisamos estar preparados. Esse motivo me levou a separar seis exercícios funcionais para idosos que podem trazer muitos benefícios.

Se você quer conhecer cada um deles e compreender como eles ajudam na qualidade de vida do seu aluno continue lendo. Antes de começarmos o texto, eu recomendo fortemente que você clique aqui e participe do meu grupo exclusivo do WhatsApp, onde eu envio vídeos e exercícios todos os dias. PS: Grupo exclusivo para profissionais e estudantes de Fisio e Ed. Física.

Prancha

Os idosos sofrem em especial: além de passarem boa parte do dia sentados também convivem com as alterações que o corpo sofre com o envelhecimento. Por isso encontramos tantas patologias de coluna nesse público. E você sabe que o Core, ou núcleo do corpo, tem um papel fundamental na estabilização da coluna. Com essas musculaturas fortalecidas.

Para você perceber como essa região, e esse exercício, é importante vamos dar uma olhada na rotina da dona Rosa. Ela acorda às 7h da manhã e vai para a cozinha preparar o café da manhã dos netos. Mais tarde ela pega o carro e dirige até o supermercado, faz as compras da semana e volta para casa. Descarrega o carro, leva todo o peso para a cozinha.

Afundo

O afundo é um exercício maravilhoso para qualquer um que queira um corpo funcional. Ele trabalha diversos músculos dos membros inferiores e da cadeia posterior como:

  • Glúteos;
  • Quadríceps;
  • Posteriores de coxa;
  • Adutores de coxa.

Além disso ele também trabalha a musculatura do Core que deve ficar ativada durante todo o exercício. Mas será que meu aluno idoso consegue fazer um afundo? Talvez não. Assim como iniciantes, o idoso talvez tenha problemas para manter o equilíbrio durante um movimento como esses. Mas queremos que ele recupere esse equilíbrio para que volte a ter padrões funcionais de movimento.

Ponte

 

Quem faz Pilates provavelmente já está familiar com esse exercício. A ponte é muito usada em diversas modalidades e os fisioterapeutas já conhecem seu potencial há bastante tempo. É um exercício bastante simples que consiste em levantar o quadril e manter a posição por alguns segundos.

Para quem vê de fora parece pouco desafiador ou importante, talvez até fácil demais para estar entre os exercícios funcionais de uma aula. Mas calma, alguém só pensaria isso por não conhecer o movimento. Ele é benéfico para diversas patologias e sintomas como:

  • Dor lombar;
  • Má postura;
  • Equilíbrio ruim;
  • Amnésia glútea;Falta de mobilidade de quadril;
  • Falta de estabilidade de tronco;
  • Joelhos desalinhados.

Viu? Podemos usar a ponte para muitos fins. Começarei a falar sobre os benefícios da ponte com foco no fortalecimento dos glúteos.

Prancha Lateral

Ela também é um exercício com foco em fortalecimento de Core, que já vimos ser muito importante. Porém, o movimento se destaca por ter estímulos um pouquinho diferentes.

  • O movimento trabalha musculaturas como:
  • Transverso abdominal;
  • Reto abdominal;
  • Oblíquo;
  • Quadrado lombar;
  • Glúteos;
  • Adutores de coxa.

Veja como a prancha lateral é bastante completa. Ela trabalha Core? Sim e com muita eficiência. Ela também trabalha musculaturas de membros superiores e inferiores, ajudando a melhorar o movimento como um todo.

Dificuldades da Terceira Idade

Conforme o corpo envelhece suas capacidades funcionais vão diminuindo. Existe:

  • Diminuição de massa óssea;
  • Perda de força muscular;
  • Menor produção de hormônios;
  • Menor tempo de reação;
  • Piora no equilíbrio.

Tudo isso leva a uma perda de independência que afeta nossos alunos física e psicologicamente. Também percebemos um aumento no risco de quedas, que é um dos principais perigos para as pessoas mais velhas. O objetivo do Treinamento Funcional é recuperar os movimentos funcionais do aluno idoso e diminuir o risco de queda.

Portanto, você deve priorizar exercícios que reproduzam movimentos da vida diária. Um exemplo é o agachamento, que expliquei mais acima. Com tais exercícios você conseguirá também melhorar a coordenação motora do idoso. O que quer dizer que o idoso é capaz de fazer muito mais atividades sem precisar de auxílio.

Leave a Reply